Fundação de Cultura contempla 14 projetos com R$ 515 mil pelo PROMIFIC


por Departamento de Cultura em 15 de dezembro de 2020
Palhaço Picolé foi contemplado com a 2ª edição do projeto 'Hoje Tem Circo na Praça? Tem sim, senhor!'. Foto: Luana Caroline do Nascimento

A Fundação Municipal de Cultura e o Conselho Municipal de Política Cultural divulgaram na noite desta segunda-feira, 14, o resultado do segundo edital do Programa Municipal de Incentivo Fiscal à Cultura (PROMIFIC). Foram aprovados 14 projetos de diversos segmentos, em um total de R$ 515 mil. Agora, os proponentes poderão captar este recurso junto a empresas e pessoas físicas com dedução de até 60% do IPTU de 2021.

O Programa é um dos mecanismos de financiamento à cultura previstos no Plano Municipal de Cultura de Ponta Grossa (Lei 13.026/2017). Os projetos se encaixam em três faixas orçamentárias, no valor de R$ 25 mil, R$ 40 mil e R$ 60 mil, e foram avaliados por profissionais com ampla experiência, todos de fora de Ponta Grossa.

“O PROMIFIC foi uma das maiores conquistas desta gestão, pois possibilita que agentes culturais inscrevam seus projetos e possam captar os valores necessários para a produção e execução. Além disso, a comunidade ponta-grossense é amplamente beneficiada ao poder usufruir desses projetos, ainda mais tendo em vista o caráter da descentralização, que farão com que as atividades cheguem aos mais diversos públicos, nos bairros e distritos, tudo gratuito”, destaca o presidente da Fundação, Fernando Durante.

Projetos aprovados

Na área de Artes Cênicas foram aprovados os projetos do Laboratório de Estudos em Dramaturgia Teatral, de Gabriel Vernek; a montagem do espetáculo ‘Entre a Cruz e a Espada – Uma Aventura Nada Clara’, do Coletivo Cacareco; e a segunda edição da circulação do espetáculo ‘Hoje tem circo na praça? Tem sim, senhor!’, do Palhaço Picolé, que passará desta vez por 21 praças em toda a cidade.

Em Artes Visuais foi aprovado o projeto Tom da Terra, de João Agner, com a execução de oficinas gratuitas e produção de 10 grandes murais com tintas artesanais ecológicas. No Audiovisual foram contemplados o projeto (Des)Tear, de Charles da Cunha Dantas, que prevê a produção de um documentário sobre a violência contra a mulher em Ponta Grossa; e a segunda edição das Oficinas de Formação Cinematográfica, de Dê Kelm, com aulas gratuitas de cinema nas áreas de direção, produção, fotografia e som.

No segmento de Literatura foram aprovados os projetos de lançamento do livro ‘Perfis da cidade’, que reúne mais de 160 crônicas de Flávio Madalosso Vieira, além da distribuição de 25 mil flyers com textos literários em toda a cidade; e o Cacarejando Histórias, uma parceria do Coletivo Cacareco com o Bando da Leitura, que realizará uma mostra de contação de histórias em 11 tardes de domingo no Lago de Olarias.

Na Música, foram contemplados o projeto Música para Todos, de Ricardo Corrêa, que beneficiará 40 alunos com aulas semanais de música ao longo de 8 meses, em uma parceria com a Vara da Infância e Juventude, que selecionará as crianças e adolescentes que estejam em medida protetiva, medida socioeducativa ou em situação de risco social na cidade; e o show Casa Cantante – Cantiga Animal, que levará 14 shows de música infantil para os quatros distritos de Ponta Grossa e praças em bairros afastados do Centro.

Em Patrimônio Cultural foram contemplados os projetos Bandas de Música de Ponta Grossa, que prevê a publicação de um livro a partir da pesquisa do historiador Fábio Holzmann Maia, e a produção de podcasts sobre o assunto; a criação do Museu Virtual Cenas de Ponta Grossa, da ABC Projetos, que lançará uma plataforma para a catalogação, organização, identificação e disponibilização de imagens fotográficas que contam a história da cidade; e o projeto que atuará na educação patrimonial e inventário de sítios arqueológicos da APA da Escarpa Devoniana em Ponta Grossa, com a união de diversos geólogos e arqueólogos.

Por fim, na categoria de Povos, Comunidades Tradicionais e Culturas Populares foi aprovado o projeto Novos Olhares, de Ana Letícia Istschuk, que levará oficinas de fotografia e literatura marginal a jovens moradores da Vila Nova, além da exposição dos trabalhos para a comunidade.

O resultado completo, bem como mais informações sobre como incentivar os projetos aprovados, estão disponíveis clicando aqui.


photo_camera Galeria de fotos:


FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE CULTURA