Ponta Grossa recebe Caravana Natal Mágico

Ponta Grossa recebe, no próximo dia 15, a ‘Caravana Natal Mágico’, projeto de Natal itinerante que traz para a cidade o espetáculo “Encanto Natalino”, criado e encenado pelo Grupo Lanteri. A apresentação acontece a partir das 19h30 no estacionamento da Biblioteca Pública Municipal. A realização é da Agência Canal e Ministério da Cultura, com patrocínio da Sanepar e apoio, na cidade, da Prefeitura de Ponta Grossa.

O Natal Mágico tem como objetivo levar cultura, entretenimento e encanto para crianças, jovens e adultos, com uma apresentação no formato de teatro musical. Esse é o décimo ano de execução do projeto, que já visitou mais de 200 cidades em todo Paraná e foi visto por mais de 1 milhão de pessoas. Nesta edição, serão visitadas 23 cidades até o dia 23 deste mês, incluindo Ponta Grossa, dia 15.

O projeto trabalha com linguagem de fácil acesso e compreensão para atingir todas as pessoas. Além disso, fomenta cadeias produtivas, gerando emprego para diversos setores e valorizando a produção cultural local.

Sobre a peça

O roteiro da peça parte da busca pelo reavivamento do espírito natalino em uma sociedade que perdeu a fé na magia dessa época. Diante de um mundo frio, sem vida e sem esperança, quatro amigos com personalidades distintas unem forças para resgatar a luz, a esperança e a alegria do Natal.
A narrativa destaca a importância dos valores fundamentais, como amor, honestidade, companheirismo, força e união, representados por personagens lúdicos. A missão desses amigos é levar uma mensagem positiva e emocionante sobre o Natal, buscando tocar os corações daqueles que perderam a conexão com a magia dessa época. Em resumo, a peça visa reacender a chama da magia natalina em um mundo que, muitas vezes, esquece o verdadeiro significado dessa celebração.

Caravana Natal Mágico tem encantado plateias por onde passa

Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa leva cinco prêmios no Festival de Palmeira

O Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa (GTPG), um dos corpos estáveis vinculados à Secretaria Municipal de Cultura, levou os prêmios de melhor figurino (Evlin Frandoloso), melhor maquiagem, melhor atriz coadjuvante (Viviane Oliveira), melhor atriz (Vivian Bueno) e melhor direção (Emerson Rechenberg) no 1° Festival de Teatro de Palmeira. O evento aconteceu entre os dias 26 de novembro e 2 de dezembro.

O grupo participou com a peça ‘O que o mordomo viu’, que já vinha sendo encenada com sucesso nos palcos de Ponta Grossa e também foi apresentada no encerramento do 26º Festival de Teatro da Unicentro (Feteco), em Guarapuava, no dia 26 de novembro. “Nós ficamos muito felizes com o resultado do GTPG, que tanto orgulha e bem representa nossa cidade”, destaca o secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal.

O Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa tem apenas quatro anos. O primeiro elenco foi formado em 2019, a partir de um teste seletivo. O objetivo do GTPG é contribuir para a formação de novos atores, atrizes e técnicos de teatro na cidade, fomentando, assim, a criação de novos grupos e produções.

O que o mordomo viu agradou o público presente ao Festival

Sexta às Seis apresenta Majesty Ghost Cult e Maiden Rules

Show deveria ter acontecido em outubro, mas foi adiado por causa das chuvas

As bandas Majesty Ghost Cult e Maiden Rules se apresentam no Projeto Sexta às Seis na próxima sexta, dia 24. Os shows, que deveriam ter sido realizados no dia 27 de outubro, mas foram adiados devido às chuvas naquela data, acontecem na Concha Acústica da Praça Barão do Rio Branco. O projeto é uma promoção da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura, e faz parte da programação dos 200 anos de Ponta Grossa.

Majesty Ghost Cult faz uma apresentação teatral, com forte presença visual

A Majesty Ghost Cult é uma banda tributo à banda sueca Ghost B.C, que mistura elementos do heavy metal e do rock progressivo, com influências dos anos 1970 e 1980, junto com um pop atual. O grupo ponta-grossense foi formado em 2019 e faz uma apresentação próxima ao original, com imagem teatral e misteriosa, além de riffs pesados e vocais dramáticos, acompanhados por luzes e fogos. O objetivo é levar ao público uma atmosfera única e envolvente em suas aparições. A banda prioriza o espetáculo audiovisual em cada apresentação que faz, tentando emular o mais próximo possível os shows da banda sueca.

Maiden Rules leva ao palco um show fiel às apresentações do Iron Maiden

A Maiden Rules foi formada em 2015, também aqui na cidade, por amigos músicos e fãs do Iron Maiden, do qual, desde o início, fazem cover/tributo. A banda busca sempre executar as músicas de forma fidedigna, buscando a sonoridade mais próxima, desde timbres até figurinos. O grupo tem sido requisitado para eventos de rock nos Campos Gerais. A banda já participou de diversos festivais e eventos nesses oito anos. Em Ponta Grossa, as principais participações foram no próprio Projeto Sexta às Seis, em 2016, e em festivais para motociclistas, promovidos por moto clubes. Também já se apresentou em Guarapuava, Irati, Palmeira, Paranaguá e Castro.

Biblioteca Pública recebe ‘Casa dos Sentidos’

Vivências de crianças e adolescentes com autismo é apresentada em exposição

Foi aberta hoje (21) a exposição ‘Casa dos Sentidos’, na Biblioteca Pública Professor Bruno Enei, uma mostra interativa sobre vivências de crianças e adolescentes com autismo. A produção é da Guanabara Produções Culturais, com apoio da Montenegro Produções Culturais, por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura e apoio, em Ponta Grossa, da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura.

A exposição, que tem sido levada para várias cidades, fica em Ponta Grossa até o dia 3 de dezembro e é aberta para o público em geral que, nela, pode observar vivências e experiências de crianças e adolescentes com Transtorno do Espectro Autista (TEA), o que é apresentado em uma instalação interativa que alia sensibilidade artística com a temática das vivências desse público. A mostra é gratuita para toda comunidade e também contará com visitas especiais, guiadas, para professores e artistas. Para o secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal, é “muito gratificante receber um trabalho tão bonito e intenso, com um tema tão importante, nos 200 anos de Ponta Grossa.

A exposição estreou no ano passado, em Curitiba. Com o sucesso do projeto, a segunda edição ganhou maiores proporções, com uma versão pocket da casa que circula por outros estados, tendo passado já por Monte Mor (SP) e Catalão (GO). Nessa versão, a casa conta com cômodos como sala de jantar, quarto e cozinha elaborados, respectivamente, pelos artistas Bruna Alcântara, Marcella Callado e Bruno Romã.

A instalação busca traduzir em expressões artísticas os sentimentos e vivências das crianças e adolescentes com Transtorno do Espectro Autista (TEA), usando como símbolo o espaço de uma casa para representar essas impressões. “Cada um vê o mundo à sua maneira e as pessoas com TEA enxergam e interpretam a realidade de uma forma ainda mais individual. A proposta da curadoria é oferecer uma experiência inédita que fala sobre inclusão social por meio da arte. Tudo de forma sensorial e lúdica”, conta Giuzy de Luca, curadora do projeto.

Exposição conta com ambientes projetados de forma a trabalhar a sensorialidade

Para desenvolver a Casa, a Montenegro Produções realizou um extenso processo de pesquisa, a partir de vivências com crianças autistas. Essa etapa foi toda acompanhada por profissionais formados em psicologia, pedagogia, psicomotricidade, fonoaudiologia e terapia ocupacional. Houve ainda apoio da Tismoo, primeira startup de medicina e testes genéticos para autismo, e do The Muotri Lab (da Universidade de San Diego, Estados Unidos), que investiga os mecanismos fundamentais para o desenvolvimento do cérebro e de transtornos como o autismo.

As visitas podem ser feitas de segunda a sexta, das 9h às 18h e aos sábados, quando estará aberta exclusivamente para a exposição, das 13h30 às 17h. A Biblioteca Pública Municipal Professor Bruno Enei fica na Rua dos Operários, nº 100 – Olarias – Complexo Cultural Jovanni Pedro Masini.

Heartlistener e Hemmera se apresentam no Sexta às Seis

Acontece amanhã (dia 17) mais uma apresentação do Projeto Sexta às Seis, com a presença das bandas Heartlistener e Hemmera. Os shows acontecem na Concha Acústica da Praça Barão do Rio Branco, a partir das 18 horas. O projeto é uma promoção da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura, e faz parte da programação dos 200 anos de Ponta Grossa.

Heartlistener levará hardcore/metalcore para o palco do Sexta às Seis

A Heartlistener é uma banda de hardcore/metalcore formada em 2018. Seu primeiro lançamento foi o EP “Inner Self”, de 2019. Em 2020 lançou o single “Intangible Lines”, com participação de Garret Rapp, integrante do grupo The Color Morale, dos Estados Unidos. Eles definem seu som como tendo um ritmo acelerado, guitarras agressivas e melódicas e vocais agressivos que transmitem uma mensagem melancólica, embora esperançosa. Em 2021 a banda lançou novos singles e depois, em 2022, o álbum “Perspectives”.

Hemmera volta ao Sexta às Seis depois de uma grande apresentação em 2022

A Hemmera, também é uma banda de metalcore formada em 2018. O grupo mistura vocais guturais e melódicos, instrumental pesado e melódico e, como um diferencial, apresenta elementos de música eletrônica em algumas de suas composições. Ainda em 2018, lançou sua primeira demo, intitulada de ‘’Outra Vez’’, que abriu portas para seu primeiro show no festival Rock Rural, em Palmeira. Em fevereiro de 2019 a música ‘’Ilusões’’ foi lançada e se tornou o maior sucesso da banda. A Hemmera já participou do Sexta às Seis no ano passado.

Concertos movimentam o mês de novembro em Ponta Grossa

Grupos musicais da Secretaria Municipal de Cultura se apresentam em diferentes espaços

O Conservatório de Música Maestro Paulino encerra as atividades de 2023 neste mês. Para isso estão programadas diversas apresentações que acontecem em diferentes espaços, como o Centro de Música, Cine-Teatro Ópera e Concha Acústica. A promoção é da Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura (SMC). Todas as apresentações marcadas para o Cine-Teatro Ópera terão entrada solidária.

“Neste mês teremos concertos dos nossos principais grupos como a Orquestra Sinfônica de Ponta Grossa, Banda Lyra e a Conserva’s Big Band!”, conta o diretor de Ensino de Arte e Cultura da SMC, Johnny Adam Bueno.

O secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal, lembra que “a programação dos 200 anos de Ponta Grossa, na qual estão inseridas as apresentações, ainda acontecem com grande intensidade. Essas ações com música atraem grande público em nossa cidade”, frisa.

As atividades ganham intensidade a partir do dia 18 (próximo sábado), com o Concerto ‘Celebra-te’, em comemoração ao aniversário da Banda Lyra dos Campos, que está completando 71 anos. A apresentação acontece no Cine-Teatro Ópera, a partir das 20 horas. Já no domingo, no mesmo espaço, será realizado o concerto de final de ano da Orquestra Sinfônica de Ponta Grossa, com o tema ‘Sonho de uma noite de verão’, no qual será exibida a Sinfonia n. 5, de Mendelssohn. O espetáculo inicia às 19h30. Nos dois eventos o ingresso solidário será um fardo de papel higiênico.

Nos dias 20 e 21 (segunda e terça-feira) serão realizados recitais de encerramento do ano da iniciação musical do Conservatório Maestro Paulino. Na segunda-feira, a apresentação ocorre no Cine-Teatro Ópera e, na terça-feira, o palco será a Concha Acústica da Praça Barão do Rio Branco, ambas a partir das 19h30. No Ópera, a entrada solidária é um pacote de bala.

Ainda haverá, no Centro de Música, dos dias 20 a 30, recitais de classes de todos os instrumentos trabalhados. “O objetivo é dar oportunidade para os alunos colocarem em prática toda essa vivência musical trabalhada em sala de aula”, explica Johnny Adam Bueno.

No dia 26, a Conserva’s Big Band realiza o concerto ‘À brasileira’, no Cine-Teatro Ópera, a partir das 19h30. Essa apresentação também terá como entrada solidária um pacote de bala.

Ponta Grossa recebe exposição ‘Casa dos Sentidos’

Exposição interativa trata de vivências de crianças e adolescentes com autismo

Entre os dias 21 deste mês e 3 de dezembro, a Biblioteca Pública Professor Bruno Enei recebe a exposição ‘Casa dos Sentidos’, uma exposição interativa sobre vivências de crianças e adolescentes com autismo. A produção é da Guanabara Produções Culturais, com apoio da Montenegro Produções Culturais, por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura.

As vivências e experiências de crianças e adolescentes com Transtorno do Espectro Autista (TEA) são inspiração para a Casa dos Sentidos, apresentada em uma instalação interativa que alia sensibilidade artística com a temática das vivências desse público. A mostra pode ser vista de forma gratuita. Haverá, também, visitas especiais, guiadas, para professores e artistas.

A exposição estreou no ano passado, em Curitiba. Com o sucesso do projeto, a segunda edição ganhou maiores proporções, com uma versão pocket da casa que circula por outros estados. Depois de Monte Mor (SP) e Catalão (GO), agora chegará em Ponta Grossa. Nesta versão, a casa terá os cômodos sala de jantar, quarto e cozinha elaborados, respectivamente, pelos artistas Bruna Alcântara, Marcella Callado e Bruno Romã.

A instalação surgiu como uma forma de traduzir em expressões artísticas os sentimentos e vivências das crianças e adolescentes com Transtorno do Espectro Autista (TEA), usando como símbolo o espaço de uma casa para representar essas impressões. “Cada um vê o mundo à sua maneira e as pessoas com TEA enxergam e interpretam a realidade de uma forma ainda mais individual. A proposta da curadoria é oferecer uma experiência inédita que fala sobre inclusão social por meio da arte. Tudo de forma sensorial e lúdica”, conta Giuzy de Luca, curadora do projeto.

Para desenvolver a Casa, a Montenegro Produções realizou um extenso processo de pesquisa, a partir de vivências com crianças autistas. Essa etapa foi toda acompanhada por profissionais formados em psicologia, pedagogia, psicomotricidade, fonoaudiologia e terapia ocupacional. Houve ainda apoio da Tismoo, primeira startup de medicina e testes genéticos para autismo, e do The Muotri Lab (da Universidade de San Diego, Estados Unidos), que investiga os mecanismos fundamentais para o desenvolvimento do cérebro e de transtornos como o autismo.

Na sequência, entraram as parcerias entre artistas e arquitetos no desenvolvimento da experiência imersiva. A equipe continua desenvolvendo uma linha de pesquisa paralelamente ao projeto artístico, que será levada à Universidade de San Diego (EUA) com embasamento técnico. O projeto artístico alia, assim, a inclusão, aceitação e conhecimento sobre TEA, que teve um aumento de 15% nos casos diagnosticados nos últimos dois anos, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. “Como mais uma parte desse conjunto e projeto, a arte é o elo de ligação no campo expressivo que aproxima os sentidos e a inclusão”, comenta a pesquisadora Jocian Machado Bueno.

Artistas

O conceito da casa para criar os cenários artísticos simboliza um lugar seguro e receptivo. “É o espaço do acolhimento e do afeto e, assim sendo, pode continuar essencialmente simples. A Casa dos Sentidos tem essa medida exata, toda alicerçada na arte para provocar diversas sensações a cada cômodo”, explica Carolina Montenegro, diretora da Montenegro Produções Culturais e da Guanabara Produções Culturais.

A imersão da Casa dos Sentidos engloba toda uma vivência sensorial, em ambientes desenvolvidos por artistas, arquitetos e designers renomados. Bruna Alcântara é a responsável pela Sala de Jantar, trabalhando conceitos como memória afetiva. O Quarto é assinado por Marcella Callado, que resgata o universo infantil dos sonhos. Bruno Romã é o responsável pela Cozinha, que brinca com questões como bagunça e ordem.

A versão pocket permite ao projeto circular com maior facilidade para outras cidades e atingir um público maior, levando arte e consciência a outros espaços. Ponta Grossa (PR) encerra o circuito do projeto em 2023. Em 2024, a Casa dos Sentidos passará por Campinas (SP), Curitiba (PR), São Paulo (SP) e Brasília (DF). Em agosto do próximo ano, o circuito vira internacional: a exposição acontecerá em San Diego, na Califórnia (EUA).

Sexta às Seis apresenta Urban Wild e West Hill

Projeto acontece na Concha Acústica da Praça Barão do Rio Branco na próxima sexta

          O Projeto Sexta às Seis tem sequência na próxima sexta-feira (dia 10) com a apresentação das bandas Urban Wild e West Hill. Os shows acontecem mais uma vez na Concha Acústica da Praça Barão do Rio Branco, a partir das 18 horas. O projeto é uma promoção da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura, e faz parte da programação dos 200 anos de Ponta Grossa.

Banda de heavy metal, Urban Wild, formada em 2019

          A Urban Wild, que abre a tarde/noite, é uma banda de heavy metal formada em 2019. Com quatro anos de existência, possui dois singles lançados até o momento: No Return (2022) e In Vain (2023), enquanto prepara seu primeiro álbum, batizado de The Nightmares of a Dreamin Mind, que deve ser lançado no primeiro semestre de 2024. Devido à pandemia do Covid-19, a banda só estreou a formação atual, nos palcos, no dia 20 de dezembro de 2020, quando se apresentou pela primeira vez no Cbgbar, local conhecido por abrir espaço para bandas de Ponta Grossa e região. No ano seguinte, ainda durante a pandemia, fez mais dois shows no mesmo lugar, com boa média de público. Agora o Urban Wild sobe ao palco do Sexta às Seis.

A banda de hard rock, West Hill, está na estrada desde 2004

          Depois, quem se apresenta é a West Hill, banda de hard rock que começou suas atividades em 2004. Em 2013 eles lançaram, de forma independente, seu primeiro álbum, com 11 músicas autorais, chamado “Rockin in the West Hill”. Nesse trabalho, eles buscaram referências no universo dos anos 1970 e 1980. Em 2016 foi lançado o primeiro videoclipe, da música “Crazy For Rock”. Durante a pandemia, no ano de 2021, lançaram o segundo álbum do grupo, intitulado “Rock ‘n’ Bubble”, em que as músicas foram criadas com o intuito de ajudar seus fãs a enfrentarem aquele difícil momento. Algumas músicas desse álbum são uma reunião de composições que vinham sendo feitas desde o lançamento do primeiro, com variados temas.

Majesty Ghost Cult e Maiden Rules se apresentam no Sexta às Seis

O Projeto Sexta às Seis tem sequência na próxima sexta-feira (dia 27) com a apresentação das bandas cover Majesty Ghost Cult e Maiden Rules. Os grupos sobem ao palco do Parque Ambiental a partir das 18 horas. O projeto é uma promoção da Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura, e faz parte da programação dos 200 anos de Ponta Grossa.

A Majesty Ghost Cult é uma banda tributo à banda sueca Ghost B.C, que mistura elementos do heavy metal e do rock progressivo, com influências dos anos 1970 e 1980, junto com um pop atual.

O grupo ponta-grossense foi formado em 2019 e faz uma apresentação próxima ao original, com imagem teatral e misteriosa, além de riffs pesados e vocais dramáticos, acompanhados por luzes e fogos. O objetivo é levar ao público uma atmosfera única e envolvente em suas aparições. A banda prioriza o espetáculo audiovisual em cada apresentação que faz, tentando emular o mais próximo possível os shows da banda sueca.

A Maiden Rules foi formada em 2015, também aqui na cidade, por amigos músicos e fãs do Iron Maiden, do qual, desde o início, fazem cover/tributo. A banda busca sempre executar as músicas de forma fidedigna, buscando a sonoridade mais próxima, desde timbres até figurinos.

O grupo tem sido requisitado para eventos de rock nos Campos Gerais. A banda já participou de diversos festivais e eventos nesses oito anos. Em Ponta Grossa, as principais participações foram no próprio Projeto Sexta às Seis, em 2016, e em festivais para motociclistas. Também já se apresentou em Guarapuava, Irati, Palmeira, Paranaguá e Castro.

Premiação da gincana Princesa em Festa será realizada nesta sexta

Será divulgado hoje, no Parque Ambiental, a partir das 19 horas, o resultado da gincana ‘Princesa em Festa – 2023’. Ao todo, serão premiadas seis categorias, de acordo com critérios pré-estabelecidos, que englobam cidadania, fraternidade, ecletismo e respeito geral. A realização é da Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura, em parceria com a Rede Massa Ponta Grossa/SBT.

A gincana tem um caráter sócio-recreativo-cultural. O objetivo do Princesa em Festa é “resgatar valores como generosidade, gentileza e o convívio em sociedade, por meio de boas ações por toda cidade”, conforme explica o secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal.

Nesta edição foram propostas 200 atividades/presentes, em alusão aos 200 anos da cidade, divididas em seis categorias: PG Cult e Criativa, Cuidar da Nossa Terra, Movimente-se!, Vida Saudável, Cidadão Bem e Ponta Grossa é Demais!. Também foram criados, como diferencial deste ano, presentes chamados de “Algo que não está na lista” para cada uma das categorias. Isso permitiu que os participantes pudessem propor algo diferente do que foi sugerido.

A gincana Princesa em Festa não tem fins lucrativos. Os participantes foram voluntários na execução da ação/presente. Para isso, foi disponibilizada uma lista com os 200 presentes dentro das seis categorias. São ações que abrangeram diferentes setores, como artístico-cultural, esportes, orientação no trânsito, conscientização na área de saúde, arrecadação de itens para doação, entre tantos outros. As ações/presentes foram realizadas entre 1° de setembro e 15 do mesmo mês. Os participantes enviaram para as comissões de avaliação um vídeo de até dois minutos mostrando a tarefa concluída.

Serão contemplados, na noite de hoje, os primeiros colocados em cada uma das seis categorias. A premiação será composta de certificados a todos os participantes, troféu para os cinco melhores presentes e um bolo de aniversário para as seis melhores equipes. Os prêmios são simbólicos, uma vez que “o verdadeiro prêmio é a participação e o resultado no cenário urbano, na comunidade”, como destaca o secretário Alberto Portugal.

SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA
Secured By miniOrange