Exposições movimentam Ponto Azul e Acervo Municipal de Obras de Arte

O setor de artes visuais da Secretaria Municipal de Cultura (SMC) está com três exposições abertas ao público na Unidade Cultural do Memorial Ponto Azul, e mais uma no Acervo Municipal de Obras de Arte. As mostras podem ser visitadas de segunda a sexta, das 8 às 17 horas, no Ponto Azul, e das 9 às 17 horas no Acervo.

No Memorial do Ponto Azul encontra-se aberta a exposição ‘Geogravuras de Ponta Grossa’, que apresenta trabalhos de alunos de uma oficina de xilogravura realizada pelo artista plástico e professor Fernando Bertani, através do Fundo Municipal de Cultura. A realização é da SMC e Conselho Municipal de Política Cultural.

Na mini sala pode ser visitada a exposição ‘Revivendo as Brincadeiras da Minha Infância’, de Lucas Auer Trentini.

Também no Ponto Azul continua a exposição ‘Salão 200 anos’, que reúne obras de diversos artistas locais. Eles retratam dois séculos da cultura e história de Ponta Grossa através de pinturas. Trata-se de uma viagem no tempo, que pode ser visitada até o dia 30 deste mês.

A Secretaria Municipal de Cultura também oferece ao público a exposição ‘Melodia em Traços’, resultado de produção de uma oficina de Sâmela Moreira. Essa se encontra no Acervo Municipal de Obras de Arte até o dia 17 deste mês.

O Memorial Ponto Azul fica na Praça Barão do Rio Branco, Centro. Já o Acervo Municipal de Obras de Arte fica na Rua Augusto Ribas, 722, em anexo ao Centro de Cultura, também no Centro.

Unidades culturais oferecem três exposições à comunidade

O Ponto Azul sedia as exposições ‘Salão 200 anos’ e ‘Por Trás dos Sorrisos’

A Unidade Cultural do Memorial Ponto Azul está com duas mostras de arte abertas à comunidade: ‘Salão 200 anos’ e ‘Por trás dos sorrisos’. Também pode ser visitada a exposição ‘Melodia em Traços’, essa no Acervo Municipal de Obras de Arte. As visitações são gratuitas e podem ser realizadas de segunda a sexta, das 8 às 17 horas, no Ponto Azul, e das 9 às 17 horas no Acervo. A promoção é da Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura.

A exposição ‘Salão 200 anos’ reúne obras de diversos artistas locais que retratam dois séculos da cultura e história de Ponta Grossa através de pinturas. Trata-se de uma viagem no tempo, que pode ser visitada até o dia 30 de novembro. Já a exposição ‘Por Trás dos Sorrisos’, de Saiury Yamazaki, ficará exposta no Ponto Azul só até o dia 30 deste mês.
A Secretaria Municipal de Cultura também oferece ao público a exposição ‘Melodia em Traços’, de Sâmela Moreira. Essa se encontra no Acervo Municipal de Obras de Arte até o dia 17 de novembro.

O Memorial Ponto Azul, fica na Praça Barão do Rio Branco, centro. Já o Acervo Municipal de Obras de Arte, na Rua Augusto Ribas, 722, em anexo ao Centro de Cultura, também no centro.

Ponto Azul abre exposição ‘Desenhos Realistas’

Será aberta na próxima quarta-feira, dia 12, às 14 horas, a exposição ‘Desenhos Realistas’, na Mini Sala do Espaço Cultural do Ponto Azul. A mostra traz obras do jovem artista ponta-grossense, Kevin dos Santos. A promoção é da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura e faz parte da programação dos 200 anos de Ponta Grossa.

De acordo com Mariângela Digiovanni, gerente do setor de Artes Visuais da Secretaria Municipal de Cultura, a Mini Sala do Ponto Azul é um espaço que prioriza os novos talentos de Ponta Grossa e também de fora. Kevin dos Santos é um desses jovens artistas, não tendo chegado à maioridade, ainda.

Mariângela conta que ele nunca frequentou uma escola de pintura ou de desenho, mesmo assim, tem um trabalho expressivo. Ele faz obras realistas em grafite, trabalhando com sombreado. “Suas figuras humanas são de uma grande delicadeza. A qualidade das obras dele merecem uma exposição”, destaca.

Ponto Azul

O Memorial do Ponto Azul abriga a unidade cultural do Setor de Artes Visuais. A construção, datada de 2001, faz referência ao antigo terminal de passageiros, que durante décadas era pintado com tinta azul e um ponto referencial dos ponta-grossenses. Inaugurada em 2021, a nova unidade cultural conta com o ateliê de artes visuais e uma sala de exposições modulada, com 4 espaços que abrigam exposições individuais e coletivas.

Ponto Azul recebe exposição de telas que retratam Ponta Grossa

A Unidade Cultural Ponto Azul recebe, a partir do dia 8 (sábado), a mostra ‘Fragmentos’, da artista plástica Claudete Farhat Zanetti, que retrata cenas e imagens da cidade. A promoção é da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura e faz parte da programação dos 200 anos de Ponta Grossa.

De acordo com Mariângela Digiovanni, gerente do setor de Artes Visuais da Secretaria Municipal de Cultura, a exposição é uma homenagem aos 200 anos de Ponta Grossa. Todas as obras expostas se referem ao município.

Claudete Farhat Zanetti é nascida em Ponta Grossa e radicada, há muitos anos, em Curitiba. Ela é formada em Farmácia e Bioquímica, profissão que exerceu por 15 anos, mas, conforme explica, sempre teve interesse pela arte. De 1990 até 2019, trabalhou com projetos de design de vestuário e estamparia voltados para moda. “Mas então a vontade de me expressar pela pintura chegou forte”, conta. Claudete, então, começou a fazer aulas de pintura abstrata no Museu Casa Alfredo Andersen. A artista, desde então, tem participado de exposições, chegando neste momento, na homenagem aos 200 anos da cidade onde nasceu.

A exposição pode ser visitada até o dia 8 de agosto, gratuitamente, de segunda a sexta, das 9h às 17h.

Ponto Azul

O Memorial do Ponto Azul abriga a unidade cultural do Setor de Artes Visuais. A construção, datada de 2001, faz referência ao antigo terminal de passageiros, que durante décadas era pintado com tinta azul e um ponto referencial dos ponta-grossenses. Inaugurada em 2021, a nova unidade cultural conta com o ateliê de artes visuais e uma sala de exposições modulada, com 4 espaços que abrigam exposições individuais e coletivas.

Acervo Municipal de Obras de Arte recebe exposição ‘Trovas’

Será aberta nesta sexta-feira (dia 7), no Acervo Municipal de Obras de Arte, a exposição ‘Trovas’, de Maria Helena Oliveira Costa. A solenidade de abertura está marcada para as 19 horas. A promoção é da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura, e faz parte da programação dos 200 anos de Ponta Grossa. 

A professora Maria Helena Oliveira Costa nasceu na cidade de Cruz Alta, no Rio Grande do Sul, mas está radicada há muitos anos em Ponta Grossa, onde é professora de Português, poetisa e trovadora de raro talento, além de declamadora. Chama atenção por seu timbre de voz claro e expressivo. Ela é sócia fundadora da Academia Ponta-Grossense de Letras e Artes (APLA) e representante de Ponta Grossa na União Brasileira de Trovadores (UBT). 

Exposição mostra Ponta Grossa pelo olhar dos migrantes

A sala de exposições do Ponto Azul recebe a mostra fotográfica ‘Ponta Grossa pelo olhar dos migrantes’. A promoção é da Cáritas Diocesana de Ponta Grossa em parceria com a Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura. 

A exposição faz parte das comemorações dos 200 anos de Ponta Grossa e é o primeiro evento que marca a 38ª Semana do Migrante. Através dessa promoção, a Cáritas motivou migrantes a registrarem locais, momentos especiais e seu cotidiano na cidade que escolheram para recomeçar sua história. Dessa forma, trata-se de uma experiência interessante, tanto para o público de fora como para os ponta-grossenses, que vão poder presenciar como o município é visto por quem aqui chegou. 

Ao todo, são 140 fotos que trazem pessoas, imagens em detalhes da cidade e seus pontos de maior atração. A exposição e permanece aberta para visitações até o dia 30 deste mês, sempre das 9h às 17h.

Maquetes reproduzem, numa escala menor, um desfile de escola de samba em detalhes.

Exposição apresenta escola de samba em miniatura

Está aberta a exposição de maquete que mostra em miniatura todos os detalhes de uma Escola de Samba, com suas alas, carros alegóricos e fantasias. “Entre bonecos e fantasias – o minúsculo mundo do carnaval de maquete”, de Renato Garcia, estará em exibição na Unidade Cultural Ponto Azul. A promoção é da Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura e faz parte da programação do ‘Carnaval de Ponta Grossa: 200 anos de alegria e samba no pé’. A exposição pode ser visitada até o dia primeiro de março. 

Renato Garcia trabalha com o desenvolvimento de maquetes desde 2019. Trata-se da criação de uma escola de samba nos moldes oficiais, só que em forma de maquete. “Os visitantes irão ver alas, carros alegóricos, baianas, casais de mestre-sala e porta-bandeira, em miniatura, tentando ser o mais fiel possível a uma escola real”, explica.

A exposição é consequência de um concurso de escolas de samba de maquetes que acontece a nível nacional, segundo Renato. O artista faz parte de uma liga, a União das Escolas de Samba de Maquete (UESM), que reúne agremiações e amantes de carnaval do país inteiro. “Acontece uma competição anual das escolas de maquete, promovida pela UESM. Existe o grupo de avaliação, acesso e especial, do qual faço parte”, conta.

A maquete é composta por cerca de 450 bonecos, além das alegorias. Renato Garcia utiliza os mesmos materiais que são usados normalmente para a confecção de fantasias e adereços de carnaval, só que numa escala bem menor. “Trata-se de um trabalho grandioso e minucioso em todos os detalhes, que vai encantar a todos os visitantes”, destaca o secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal.

O ponta-grossense Renato Garcia é licenciado em História e pós-graduado em Artes. Trabalha na rede estadual de educação há 20 anos e, paralelamente, sempre esteve envolvido com escolas de samba. Foi carnavalesco da Escola de Samba Águia de Ouro, de Ponta Grossa, por quase 10 anos. “Levei campeonatos para a escola e encerrei minha carreira como carnavalesco levando o 2º lugar para a agremiação”, lembra. Também participou de concursos de fantasias promovidos pela Secretaria Municipal de Cultura. Desde 2019 tem investido no carnaval de maquetes.

Cultura promove exposições ‘Multiforme’ e ‘Diversidade’

A Prefeitura de Ponta Grossa, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, realiza no mês de setembro duas exposições– ‘Multiforme’ e ‘Diversidade’. “Teremos um calendário extenso de programação cultural no mês em que comemoramos os 199 anos de Ponta Grossa”, afirma o secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal.

A exposição ‘Multiforme’, de autoria de Emanuel Sansana, será aberta às 15 horas desta quinta-feira (1º), no Ponto Azul. Sansana explica que esta será sua primeira exposição individual e presencial. “O tema ‘Multiforme’ foi escolhido por abranger diferentes temas, com obras que foram criadas durante o período de lockdown”, explica. São 23 obras selecionadas, em que o artista utilizou a técnica acrílica sobre tela. “A exposição acontece no mês de setembro justamente para poder homenagear a cidade, já que existem obras com referências às belezas naturais e urbanas da cidade de Ponta Grossa”, aponta. Integram a exposição duas obras premiadas internacionalmente: são elas ‘Um violão e a solidão’, premiada em Nova Iorque, em 2020; e ‘Descanso do Sol’, que recebeu o prêmio The Gallery’s Choice, pela Galeria People and Paintings de Nova Iorque, no final de 2021.

Exposição ‘Multiforme’, de Emanuel Sansana, terá 23 obras selecionadas

Já a exposição ‘Diversidade’ será aberta às 10h30 de sábado (3), no Centro de Cultura. Sob a orientação de Edilson Viriato, 15 artistas mostram seu trabalho. “A Casa Leonardo, com sua galeria de arte, convidou vários artistas do Paraná para fazer parte da exposição que comemora 199 anos de Ponta Grossa. Cultura e arte caminham juntos e gostaríamos de trazer um presente para a cidade”, destaca a artista plástica Cristina Sá, que integra a exposição, ressaltando que haverá também a participação do Centro Cultural Professor Faris Michaele. Além de Cristina, a exposição conta com obras de Tatiane Pedrini, Celso Parubocz, Alelina Nishiyama, Susana Goienetxe, Jociane Lesuk, João Coviello, Carlos Rocha, Silvana Passos, Lidia Saczkovski, Isaura Antunes, Juliano Benazzi, Elisiane Wenger, Maria Bado e Katia Kimieck.

Ambas as exposições poderão ser visitadas até o dia 30 de setembro.

Da Assessoria

Exposição marca abertura da Semana do Patrimônio Cultural

A Prefeitura de Ponta Grossa abriu, nesta segunda-feira (8), a Semana do Patrimônio Cultural. Organizada pela Secretaria Municipal de Cultura, o evento, que vai até sexta-feira (12), tem como tema ‘Ensinar, sensibilizar e preservar’. As atividades da semana foram abertas com a exposição ‘Registros da cidade de Ponta Grossa: corpo e alma’, na Unidade Cultural do Ponto Azul. A solenidade de abertura também contou com apresentação da Banda Escola Lyra dos Campos. “Nossa cidade precisa crescer, mas não podemos esquecer do nosso patrimônio cultural, que é uma peça fundamental para o nosso desenvolvimento”, destaca o prefeito em exercício, Daniel Milla Fraccaro.

O secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal, explica que o objetivo da Semana é chamar a atenção para a importância de preservar o patrimônio cultural da cidade. “Durante o evento, queremos fomentar a pesquisa, a discussão técnica, a sensibilização e a educação patrimonial”, frisa. Assim, a Semana contará com extensa programação, que inclui visita guiada à Mansão Villa Hilda, oficinas, sessão pública de salvaguarda de bens culturais da cidade, entre outras ações.

A exposição ‘Registros da cidade de Ponta Grossa: corpo e alma’ pode ser visitada na Unidade Cultural do Ponto Azul até o dia 31 de agosto. A mostra traz referências visuais sobre a história desta cidade, através de uma exibição de fotografias do Fundo Foto Bianchi e de plantas arquitetônicas presentes no acervo da Casa da Memória Paraná. As duas técnicas de registros, a fotografia e o desenho arquitetônico, são apresentados como documentos, que estão catalogados e preservados na Casa da Memória Paraná. Essas fontes históricas oferecem pistas sobre os modos de vida de Ponta Grossa do século XX, que foi se modernizando com a abertura das ferrovias na região. Os elementos visuais, que são notados em cada fotografia ou desenho, ajudam a entender a cultura visual. Quando pesquisados e articulados com outros documentos, eles auxiliam para caracterizar a história, a arte, a geografia, a economia, a tecnologia, a saúde, o turismo e a cultura em um determinado tempo e espaço da cidade.

Ainda nesta segunda-feira, acontece sessão pública de salvaguarda de bens culturais da cidade, além de entrega do Prêmio Guardiões do Patrimônio-Preservadores, no Cine-Teatro Ópera, às 19 horas. A sessão de salvaguarda abrangerá livro de registro dos sabores – artesanato em palha; livro de registros das formas de expressão – Banda Escola Lyra dos Campos; e o livro de registro dos lugares – devoção em torno do túmulo de Corina Portugal.

Durante todos os dias da semana, acontece visita guiada na Mansão Villa Hilda, em que os visitantes poderão participar da Escolinha do Patrimônio e conhecer o Sótão do Fantasma. Diariamente, há ainda um cronograma de passeio por pontos históricos da cidade com alunos da rede estadual de ensino.

Prefeito em exercício, Daniel Milla Fraccaro, durante a abertura da Semana

Oficinas

A Secretaria promove ainda uma série de oficinas, que serão ministradas por Melina Pissolato Moreira, um dos maiores nomes da educação patrimonial no Brasil. Os encontros serão no auditório do Centro de Música. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas por meio de formulário on-line. No dia 10, das 13 às 15 horas, o tema da oficina será ‘Educação patrimonial e gestações públicas’, direcionada a gestores culturais. No dia 11, das 19 às 21 horas, o tema da oficina será ‘Educação Patrimonial: introdução a conceitos e práticas’, direcionada a estudantes de graduação na área de História, Turismo, Artes Visuais, Arquitetura e Urbanismo, Pedagogia e Comunicação. E, no dia 12, com o tema ‘Educação Patrimonial: reflexões e práticas’, das 14 às 16 horas, a oficina será voltada a professores da rede municipal de ensino de Ponta Grossa. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site da Secretaria de Cultura.

Da Assessoria

Setor de Artes Visuais do Ponto Azul sedia exposição “ Da Linha ao Objeto”

A multiplicidade é um dos trunfos do segmento artes visuais, posto que congrega diferentes visões artísticas. Com base nesta premissa, o Setor de Artes Visuais Ponto Azul, espaço administrado pela Prefeitura de Ponta Grossa, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, vai sediar de 15 de junho a 1º de julho a exposição “Da Linha ao Objeto”. A mostra, que vai ocupar o espaço principal do Setor de Artes Visuais, conta com cenários de Nessandra Cordeiro e figurinos de Evlin Frandoloso, do espetáculo teatral “ Todos os Nós”, que esteve em cartaz recentemente.

De acordo com Nessandra, responsável pelos cenários da peça, a ideia da exposição surgiu pela necessidade de dar visibilidade aos profissionais que atuam nos bastidores das produções culturais. “Sabemos que nas artes, mais especificamente no teatro, a produção abrange diversos setores específicos, os quais reunidos permitem levar ao público o espetáculo como um todo”.  A cenógrafa, que também é artista plástica, estilista e design de interiores, comenta que “ Da Linha ao Objeto,   nos propõe caminhos distintos e nos molda. A força simbólica da cor e a simplicidade da linha conduzem o espectador a um universo onde realidade e imaginação, passado e presente, luto e renascimento se fundem. O que nos leva a uma percepção poética do desenho como traço formador das coisas e do mundo, olhando assim para os objetos e o ambiente que nos cerca como historias vivas, partes do que fomos, impregnados das memórias de cada um de nós”.

Para a figurinista Evlin Frandoloso, que iniciou seus trabalhos nesta área em 2019, enquanto integrava o “ Grupo de Teatro  Cidade de Ponta Grossa”, os figurinos do espetáculo ‘”Todos os Nós”, foi idealizado para acompanhar a mesma estética construída para o cenário. “O figurino nos mostra que é mais do que parecer: é sobre pertencermos ao nosso tempo e espaço; como traços pintados a mão, nem sempre tão delicados, assim como nós, humanos, feitos de contrastes. Trata-se, então, do novo e o velho, da chegada e da partida, da vida e da morte, e o preto e o branco que coexistem e se misturam, nos emaranhando nessas idas e vindas”, ressalta Evlin.

O secretário de Cultura, Alberto Portugal, ao fazer o convite a população para prestigiar a exposição, destaca que a finalidade do trabalho neste setor especifico da cultura “é  enaltecer o trabalho  dos  artistas visuais em todos os aspectos, expressados em  linguagens diferentes” .

A exposição “Da Linha ao Objeto”, estará em cartaz de 15 de junho a 1º de julho, no Setor de Artes Visuais Ponto Azul,  com horário de visitação das 9h às 17h. Entrada livre.

Jornalista: Maria Arlete Wadek

SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA
Secured By miniOrange