Fotos: 38ª Semana da Cultura (06.05.2024)

Nesta segunda, dia 06/05, seguindo com a 38ª Semana da Cultura, aconteceu o ensaio aberto do GTPG no Cine-Teatro Ópera. O público teve a oportunidade de conhecer como é a estrutura de um ensaio teatral e acompanhar um pouco dos estudos sobre o método de Artaud. Ao final, o público pode ter uma conversa com os atores e técnicos.

Fotos: Caroline Dumas

Lago de Olarias recebe nesta quarta a peça ‘Grinch – Um conto de Natal’


O Grupo de Teatro de Ponta Grossa (GTPG) apresenta, nesta quarta-feira (13) uma adaptação de ‘Grinch – Um conto de Natal’, no Palco do Lago de Olarias. Essa é a primeira de três apresentações da peça escolhida especialmente para a programação do ‘Natal de Ponta Grossa – Feliz Cidade 2023’. A promoção é da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Ponta Grossa. A apresentação inicia às 19h30.

A peça é um clássico da literatura natalina, já levada às telas do cinema como filme e animação, além dos palcos. Ela conta a histórica de ‘Grinch’, que é uma criatura que detesta as festividades de Natal e a felicidade dos ‘Quem’, que realizam grandes festas para a data. ‘Grinch’ tenta acabar com a festa deles. Ele não percebe o verdadeiro significado da data, que vai bem além de comemorações e presentes, e acaba se envolvendo com todo o clima. É a partir daí que se desenvolve toda a trama que promete conquistar a todos que irão até o Lago de Olarias para prestigiar a bela montagem do GTPG.

“No conto, a comunidade se une para ajudar Grinch e, então, o seu coração aumenta de tamanho com a ajuda de todos e isso representa também uma analogia de como nós ficamos mais gentis nessa época, de tudo o que o Natal representa”, compara o diretor do Grupo, Emerson Rechenberg.

A peça contará com dez atores em cena, figurino inspirado no livro e belos cenários, e bela maquiagem, fiéis ao conto. Depois da apresentação, que dura cerca de 35 minutos, todo o elenco estará disponível para tirar fotos com o público.

‘Grinch – Um conto de Natal’ voltará ao palco do Lago de Olarias também nos dias 15 e 22. Além disso, diariamente, até o dia 23, o local recebe outras apresentações que envolvem o Coro Cidade de Ponta Grossa, que apresenta o espetáculo ‘Nada é Por Acaso’; Meninas Cantoras, com ‘Bate o Sino’; e Orquestra Sinfônica, com a ‘Teoria do Silêncio’.

“Com isso, nós estamos oferecendo à comunidade espetáculos magníficos, que contam diferentes e emocionantes histórias relativas ao Natal”, destaca o secretário de Cultura, Alberto Portugal.

Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa leva cinco prêmios no Festival de Palmeira

O Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa (GTPG), um dos corpos estáveis vinculados à Secretaria Municipal de Cultura, levou os prêmios de melhor figurino (Evlin Frandoloso), melhor maquiagem, melhor atriz coadjuvante (Viviane Oliveira), melhor atriz (Vivian Bueno) e melhor direção (Emerson Rechenberg) no 1° Festival de Teatro de Palmeira. O evento aconteceu entre os dias 26 de novembro e 2 de dezembro.

O grupo participou com a peça ‘O que o mordomo viu’, que já vinha sendo encenada com sucesso nos palcos de Ponta Grossa e também foi apresentada no encerramento do 26º Festival de Teatro da Unicentro (Feteco), em Guarapuava, no dia 26 de novembro. “Nós ficamos muito felizes com o resultado do GTPG, que tanto orgulha e bem representa nossa cidade”, destaca o secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal.

O Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa tem apenas quatro anos. O primeiro elenco foi formado em 2019, a partir de um teste seletivo. O objetivo do GTPG é contribuir para a formação de novos atores, atrizes e técnicos de teatro na cidade, fomentando, assim, a criação de novos grupos e produções.

O que o mordomo viu agradou o público presente ao Festival

GTPG participa de festivais em Guarapuava e Palmeira

O Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa (GTPG), um dos corpos estáveis vinculados à Secretaria Municipal de Cultura, participará do 26º Festival de Teatro da Unicentro (Feteco), que acontece de 22 a 26 deste mês, em Guarapuava. O Grupo também estará presente no 1º Festival de Teatro de Palmeira, que será realizado entre 26 de novembro e 2 de dezembro. Nas duas ocasiões será, apresentada a peça ‘O que o mordomo viu’.

Essa será a primeira vez que o GTPG atuará fora de Ponta Grossa. Em Guarapuava, o grupo fará a apresentação de encerramento do Festival, já em Palmeira, quando sobe ao palco no dia primeiro de dezembro, estará na mostra competitiva. “Apresentar para outros públicos é fundamental para o amadurecimento do grupo. Além disso, coloca o trabalho desenvolvido pelo GTPG em evidência, valoriza os artistas locais e promove o intercâmbio artístico. Apresentar em outras praças sempre foi uma premissa, que agora está sendo contemplada”, destaca o diretor do Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa, Emerson Rechenberg.

‘O que o Mordomo viu’ já foi encenada com bom público no Cine-Teatro Ópera

Histórico

O Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa tem apenas quatro anos. O primeiro elenco foi formado em 2019, a partir de um teste seletivo. O objetivo do GTPG é contribuir para a formação de novos atores, atrizes e técnicos de teatro na cidade, fomentando, assim, a criação de novos grupos e produções.

Todos os integrantes recebem uma bolsa de estudos mensal para incentivar o aprimoramento técnico e artístico. A direção artística é feita por profissionais convidados. A primeira montagem do grupo foi o espetáculo ‘Shakespeare: Paixão & Poesia’, com texto e direção de Edson Bueno, de Curitiba. A montagem estreou em agosto de 2019, com três apresentações no Cine-Teatro Ópera, com excelente público. Em seguida, a companhia encenou ‘O Impostor’, adaptado da obra de Molière, com direção de Léo Campos, do Rio de Janeiro. Foram cinco apresentações ao ar livre, durante a programação do Natal Iluminado 2019, no Parque Ambiental, alcançando grande e variado público.

Em 2020, por conta da pandemia, o grupo precisou se reinventar, com ações online. Os atores e atrizes apresentaram trechos clássicos de poemas e livros em formato de citações em vídeo. Já a equipe técnica criou o Curso de Introdução ao Teatro, com 11 aulas, também em vídeo. O grande projeto do ano foi a gravação de quase 70 episódios da série ‘Esse Lugar tem História’, no qual apresentam os patrimônios históricos tombados de Ponta Grossa, disponível no site da Secretaria Municipal de Cultura, no endereço https://cultura.pontagrossa.pr.gov.br/esse-lugar-tem-historia/.

Na retomada das atividades presenciais, após a pandemia, o grupo fez várias realizações, com apresentações e ações culturais: Todos os Nós, Oficina de bolachas no Natal e outras intervenções. O GTPG conta ainda com duas grandes temporadas da peça ‘A Máquina de Somar’, uma em 2022 e outra neste ano; apresentou o espetáculo de 200 anos da cidade; e recentemente, em julho de 2023, também estreou ‘O que o mordomo não viu’, de Joe Orton, a peça que estará nos festivais, todas sob a direção de Emerson Rechenberg.

Concerto ‘Duzentos’ leva história de Ponta Grossa para a praça

A comunidade ponta-grossense vai receber mais um grande evento no próximo final de semana. A Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura, realizará o concerto  ‘Duzentos – a maior celebração de todos os tempos’, espetáculo que vai reunir música, dança e teatro, simultaneamente, além de projeções e luzes. Serão três apresentações, nos dias 15, 16 e 17, que vão acontecer, gratuitamente, na Praça Marechal Floriano Peixoto. O evento faz parte das comemorações dos 200 anos de Ponta Grossa.
As apresentações iniciarão sempre às 19h30 e terão a participação da Orquestra Sinfônica de Ponta Grossa, do Coro Cidade de Ponta Grossa, Banda Lyra dos Campos, Coral das Meninas Cantoras, da Cia. Municipal de Dança, do Grupo de Teatro de Ponta Grossa, além de convidados. A direção é de Emerson Rechenberg.

O secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal, explica que será uma grande produção, com mais de 300 pessoas em cena. Com uma hora de duração, o ‘Duzentos’ vai contar passagens importantes da história da cidade. Para isso, será montado um enorme palco na praça com toda a estrutura de som, luz e projeção. “O concerto ‘Duzentos’ é um espetáculo multilinguagens, realizado com todos os corpos estáveis da Secretaria de Cultura. Os momentos históricos serão retratados com música, coreografias, projeções e diversos outros recursos”, antecipa Emerson Rechenberg.
É a primeira vez que um espetáculo acontece neste local e também a primeira vez que todos os grupos municipais estarão reunidos em cena, tornando a apresentação a maior celebração de todos os tempos.

GTPG volta ao Ópera com ‘O que o mordomo viu’

O Grupo de Teatro de Ponta Grossa (GTPG) volta aos palcos nesta terça e quarta (1 e 2) com a peça “O que o Mordomo Viu”. As apresentações acontecem a partir das 20 horas, no Auditório A do Cine Teatro Ópera. A classificação indicativa é 18+ e o ingresso é solidário: um quilo de alimento ou um agasalho. A promoção é da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura, e faz parte das programações dos 200 anos de Ponta Grossa.

A peça estreou no dia primeiro de julho, dentro da programação da Virada Cul-tural de Ponta Grossa, realizada pela Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura. Agora, retorna para mais duas apresentações. 

‘O que o Mordomo Viu” é uma construção farcesca, escrita pelo autor inglês, Joe Orton, com direção de Emerson Rechenberg. O espetáculo retrata, com fina ironia, um dia no cotidiano de uma clínica psiquiátrica britânica, na década de 1960, a partir da visão típica do humor inglês: ácida e sutil. O título faz referência a uma das maiores instituições britânicas que é o mordomo, profissional conhecedor de todos os pecados de uma família e fiel depositário dos segredos. Em cerca de uma hora e meia, o texto, escrito em 1967, vai conduzindo o público a refletir sobre temas espinhosos, como a própria abordagem das doenças mentais, a hipocrisia, o preconceito e as mazelas de certos setores da sociedade, que ainda continuam atuais.

Rechenberg destaca que esta é a primeira montagem brasileira desse texto, seguindo os moldes em que foi escrito. “É um espetáculo provocativo e até mesmo in-cômodo e desconfortável em alguns momentos”, avalia.

Uma das propostas inovadoras da direção é a utilização de um elenco formado por seis atrizes, que interpretam os quatro papéis masculinos e os dois femininos da trama. “A peça traz algumas situações nas quais o local de fala pertence à mulher, por isso esta escolha”, conta Emerson.

O Grupo de Teatro de Ponta Grossa é um dos corpos estáveis mantidos pela Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura.

Grupo de Teatro de Ponta Grossa inicia temporada da peça “O que o Mordomo Viu”

O Grupo de Teatro de Ponta Grossa (GTPG) apresenta a peça “O que o Mordomo Viu”, escrita pelo autor inglês Joe Orton, com direção de Emerson Rechenberg. A estreia acontece neste sábado (01), às 20 horas, no Auditório A do Cine Teatro Ópera. A classificação indicativa é 18+ e o ingresso é solidário: um quilo de alimento ou um agasalho.

Com uma construção farsesca, o espetáculo retrata, com fina ironia, um dia no cotidiano de uma clínica psiquiátrica britânica na década de 1960, a partir da visão típica do humor inglês: ácida e sutil. O título faz referência a uma das maiores instituições britânicas que é o mordomo, profissional conhecedor de todos os pecados de uma família e fiel depositário dos segredos.

Em cerca de uma hora e meia, o texto, escrito em 1967, vai conduzindo o público a refletir sobre temas espinhosos, como a própria abordagem das doenças mentais, a hipocrisia, o preconceito e as mazelas de certos setores da sociedade, que ainda continuam atuais.

O diretor destaca que esta é a primeira montagem brasileira desse texto, seguindo os moldes em que foi escrito. “É um espetáculo provocativo e até mesmo incômodo e desconfortável em alguns momentos”, avalia.

Uma das propostas inovadoras da direção é a utilização de um elenco formado por seis atrizes, que interpretam os quatro papéis masculinos e os dois femininos da trama.

“A peça traz algumas situações nas quais o local de fala pertence à mulher, por isso esta escolha”, conta Emerson.

A apresentação integra a programação da Virada Cultural de Ponta Grossa, realizada pela Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura. Depois da estreia, o espetáculo volta ao palco do Ópera nos  dias 1º e 2 de agosto.  

Atuam no espetáculo: Ana Cláudia Gambassi, Dadá Munhoz, Nadhine Rios, Natalie Fronczak, Vivian Bueno e Viviane Oliveira. A iluminação é de Bya Paixão, figurinos de Evlin Frandoloso, cenário de Nessandra Cordeiro e assistência de direção de Camila Leria. 

O Grupo de Teatro de Ponta Grossa é um dos corpos estáveis mantidos pela Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura.

Grupo de Teatro de Ponta Grossa estreia nova peça

Na ultima quarta-feira (16) o GTPG, Grupo de Teatro de Ponta Grossa, estreou a peça “A Maquina de somar”, do dramaturgo estadunidense Elmer Rice, com direção de Emerson Rechenberg. O texto, escrito em 1922, retrata o processo de mecanização do trabalho e das relações humanas no período pós revolução industrial de forma crítica e irônica. Pouco montado no país, o texto foi escolhido por significar a possibilidade da experimentação de novas linguagens estéticas no trabalho desenvolvido pelo GTPG. Para as apresentações, o hall de exposições do Centro de Cultura foi adaptado cenicamente para a montagem e cada sessão comporta 35 pessoas. A peça fica em cartaz até dia 23 de novembro, diariamente, as 20h. Classificação indicativa de 16 anos.

SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA
Pular para o conteúdo Secured By miniOrange