Museu Municipal será inaugurado no próximo dia 12

O Museu Municipal Aristides Spósito, que vai funcionar na Mansão Vila Hilda, será inaugurado no próximo dia 12. A solenidade está marcada para às 16h30, com a presença da prefeita Elizabeth Schmidt e do secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal.

O projeto é da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura, e a entrega do espaço à comunidade, como museu, faz parte da programação dos 200 anos de Ponta Grossa.

“A criação do Museu Aristides Spósito é um grande marco para Ponta Grossa, pois, ao mesmo tempo, celebra o trabalho desempenhado por um apaixonado pelas histórias do nosso e de outros tempos, e fortalece nosso papel, enquanto poder público, de fomentar ações e iniciativas dedicadas à proteção da nossa memória e da nossa cultura, requisitos essenciais para a construção de uma cidade mais humana e com um sentimento de pertencimento ainda maior”, comenta a prefeita Elizabeth Schmidt.

O prédio foi revitalizado, com obras de pintura externa e investimentos na iluminação. Ele abrigará, entre outros, parte do acervo do antigo Museu Época, fechado em 2016, que foi doado pela família de Aristides Spósito (que dá nome ao museu), falecido em 2019, que criou e manteve o Época até seu fechamento. Serão diversos itens, locais e também de fora da cidade, adquiridos e doados ao longo do tempo. Elas ficarão expostas em vários espaços da Mansão de 600 metros quadrados.

“Este é um dos momentos mais esperados dentro da nossa programação de 200 anos de Ponta Grossa. A Vila Hilda faz parte da identidade local, é um dos prédios mais icônicos da cidade e, como museu, poderá ser visitado com mais liberdade por toda a comunidade”, destaca o secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal.

O Museu Municipal fará parte de um complexo cultural mais amplo, já que funcionará no mesmo espaço onde já se encontram a Escolinha do Patrimônio e a Casa da Memória. Com isso, além da visitação, também se destacará como importante espaço de pesquisa e conhecimento.

VILLA HILDA

Com influência da arquitetura francesa neoclássica e art nouveau, a Mansão Vila Hilda é uma das mais belas e importantes edificações de Ponta Grossa. Foi construída em 1926 por Alberto Thielen, industrial e comerciante da cidade, proprietário da Cervejaria Adriática, portanto, está perto de completar 100 anos. O casarão possui dois pavimentos. No seu interior, conta com pinturas que retratam paisagens e motivos europeus, além de algumas paisagens locais. “Por isso, não só o acervo do museu, mas a própria construção é uma obra a ser admirada”, considera o secretário Alberto Portugal.

Por muitos anos a Mansão foi sede da Biblioteca Pública de Ponta Grossa. Em 1990 foi tombada pelo Patrimônio Cultural do Paraná. Até outubro do ano passado, sediava a Secretaria Municipal de Cultura.

Acervo Municipal de Obras de Arte é inaugurado em Ponta Grossa

Foi inaugurado nessa terça-feira (dia 11), às 19h30, o Acervo Municipal de Obras de Arte, instalado em anexo ao Centro de Cultura. A cerimônia de entrega do espaço contou com a presença da prefeita Elizabeth Schmidt, do secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal e dos conselheiros do Conselho de Política Cultural. Também estiveram presentes artistas plásticos, alguns dos quais, autores de obras expostas. 

O espaço do acervo foi totalmente remodelado e adequado às necessidades para receber e fazer a guarda das mais de 700 obras de arte que pertencem ao Município. São trabalhos adquiridos ao longo da história da cidade, como resultado de premiações, aquisição em salões de arte, de concursos e editais, ou doadas por artistas. 

De acordo com a prefeita Elizabeth Schmidt, este é um projeto de grande importância e que contou com colaboração coletiva. “O poder Legislativo, o poder Executivo e a iniciativa privada estiveram unidos em prol do bem comum, de fazer com que esse espaço realmente acolhesse um acervo riquíssimo”, explica. A prefeita também considera que o Acervo “é fruto do trabalho de todos que têm obras na galeria e dos servidores que trabalharam para que existisse a possibilidade de apresentar, para o grande público, a forma como esses artistas enxergam as belezas naturais e culturais de Ponta Grossa”.

O secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal considera que acervos não são importantes apenas para guardar e preservar obras, mas para documentar, contar, problematizar e retomar histórias. “Por essas salas, a partir de hoje, compartilham-se vidas, memórias e constroem-se as artes visuais sob efeito do tempo. Todo esse espaço terá uma função social, garantindo que o público tenha acesso às artes, o que lhes é de direito. É de todos, para todos”, conclui. 

De acordo com a curadora do espaço, Mariângela Digiovanni, ao longo do tempo, as obras tiveram “momentos difíceis de conservação, por falta de espaço e de condições adequadas para mantê-las”. Na atual gestão, surgiu a proposta de fazer a galeria do Acervo, que pode ser mostrado ao público mas, principalmente, para as obras terem condições adequadas de preservação. Mariângela comemora: “Pela primeira vez, após ter aumentado consideravelmente o número de obras deste acervo, alguém teve olhos para os grandes problemas, principalmente da conservação. É um momento histórico para as artes visuais de Ponta Grossa”. 

As obras de arte estão expostas adequadamente, depois de passar por uma curadoria. Muitas peças ainda precisam de restauro, trabalho que continuará a ser feito.

Prefeita Elizabeth Schmidt e secretário Alberto Portugal inauguram o Acervo
Acervo expõe de forma adequada as mais de 700 obras do Município

Prefeitura inaugura Centro de Criatividade na quinta-feira

Centro de Criatividade será aberto para a expansão criativa da comunidade   

  A Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura, inaugura na quinta-feira, dia 30, mais uma unidade. Trata-se do Centro de Criatividade, espaço destinado ao uso da comunidade para o desenvolvimento de diferentes atividades criativas. O Centro foi instalado na antiga sede da Banda Lyra dos Campos, na Visconde de Taunay, 262, em frente à Praça do Expedicionário.

“A criação deste espaço é mais um grande incentivo para a cultura da nossa cidade. Tenho certeza que grandes ideias e projetos irão ganhar vida aqui e fortalecer ainda mais o setor cultural de Ponta Grossa, que tem crescido e se diversificado com a aplicação de políticas direcionadas para o seu fomento e sua difusão. Para nós, cultura é essencial , por isso seguiremos apoiando e buscando fortalecer esse setor que não só gera arte e entretenimento para a comunidade, mas também emprego e renda para diversas famílias”, destaca a prefeita Elizabeth Schmidt.

            O espaço conta com uma estética voltada para o conceito de oficina criativa em dois amplos ambientes. Em um deles haverá cinco ilhas, com bancadas, onde podem ser desenvolvidas diferentes ações, como projetos, cursos, rodas de discussão, reuniões alternativas, entre outros. Em outro ambiente, haverá um tablado e cadeiras para serem desenvolvidos todos os tipos de experimentações artísticas. Todo o ambiente foi decorado com reaproveitamento de materiais.

            De acordo com o secretário Municipal de Cultura, Alberto Portugal, a concepção do Centro de Criatividade “surgiu como uma proposta voltada para que a comunidade tivesse um espaço público para difusão e produção de ideias”. O objetivo, portanto, é expandir a criatividade, que pode ir desde oficinas de pintura até jogos.

            O Centro de Criatividade é chancelado pelo ecossistema ‘Vale dos Trilhos’, projeto do Município voltado para o desenvolvimento de atividades de inovação. Isso demonstra a importância da proposta no sentido de inovar e agregar novas funcionalidades com grande possibilidade de impacto social, como é necessário para ter a chancela do Vale dos Trilhos.

            Em breve devem ser abertas agendas de cursos e de utilização dos espaços pelos grupos interessados.

Expansão da Cultura

            O setor cultural de Ponta Grossa passa por um momento de grande expansão. No início da atual gestão, a Secretaria Municipal de Cultura contava com seis unidades: Cine-Teatro Ópera, Centro de Cultura, Casa da Memória, Biblioteca Pública Bruno Enei, Mansão Vila Hilda e Centro de Música. Desde então, foram incluídas a Escolinha do Patrimônio, Ponto Azul, Concha Acústica, Céu das Artes e Estação Paraná, além do Centro de Criatividade, que será inaugurado no dia 30 e o Acervo de Obras de Arte, com inauguração marcada para o dia 11 de abril. Outros projetos devem ser anunciados ainda neste ano.

SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA
Secured By miniOrange