Prefeitura entrega Prêmios Culturais 2024 nesta terça


Premiação acontece durante a 24ª Conferência Municipal de Cultura, que acontece hoje e amanhã

Será realizada na noite desta terça-feira (dia 28) a entrega dos Prêmios Culturais 2024 para artistas que têm se destacado em diversos segmentos culturais, na cidade. A cerimônia de premiação acontece dentro da programação da 24ª Conferência Municipal de Cultura, realizada no Cine-Teatro Ópera. A promoção é da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura e Conselho Municipal de Política Cultural. O evento inicia às 19 horas.

Os prêmios culturais são entregues anualmente, desde 1984. O objetivo é reconhecer e incentivar o trabalho e homenagear cidadãos que tenham contribuído para a difusão e desenvolvimento da cultura na cidade de Ponta Grossa. A premiação abrange artes populares, literatura, artes visuais, música, dança, teatro, além de mérito cultural. “O Conselho Municipal de Política Cultural reconhece as pessoas escolhidas nesta edição como importantes protagonistas na cultural local, por sua história de luta pela manutenção das artes, da identidade e da cultura. Por isso, nós ficamos muito felizes em participar deste importante momento”, destaca o secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal. 

Ao todo, são oito premiações que serão entregues na noite de amanhã, em diferentes segmentos. O Prêmio Roselei do Rocio Manoel – de artes populares, será entregue ao rapper Ismael Gueg; o Prêmio Anita Philipovsky, de literatura, irá para a escritora Dione Navarro; o Prêmio João Pilarski, de artes visuais, será recebido pela artista plástica, Simone Alvares; Prêmio Jacob Holzmann, de música, para o músico Newton Schner Jr.; Prêmio Emma Sintani, de dança, para o coreógrafo Guilherme Tupich; e Prêmio José Fernandes Cadilhe, de teatro, para o dramaturgo e ator Gabriel Vernek.

Os prêmios culturais 2024 também contam com o Mérito Cultural Ribas Silveira, que vai para Jackson Willian Pluskota, desenvolvedor e programador de jogos digitais. A noite reserva ainda um prêmio especial, in memorian, para DJ Toom, Vanderson Antônio de Oliveira, falecido recentemente.

Fotos: Semana da Cultura (04.05.2024)

Foi aberta no sábado, no Cine-Teatro Ópera, a 38ª Semana de Cultura Bruno e Maria Enei, que tem, nesta edição, o tema Gerações’, que busca destacar a transferência da produção cultural de uma geração para outra, dentro das famílias. A programação iniciou com a Família Cordeiro. Foi aberta a exposição de pinturas de Nessandra Cordeiro, com declamação de poemas do seu pai, José Ruiter Cordeiro. Na mesma noite, aconteceram apresentações da Companhia de Teatro Kà, de Curitiba, com duas peças. Às 19 horas eles levaram ao palco a peça Kraken e às 21 horas, Pilar de Fogo.

Confira as fotos abaixo! Fotos: Liliane Mainardes

Lago de Olarias recebe nesta quarta a peça ‘Grinch – Um conto de Natal’


O Grupo de Teatro de Ponta Grossa (GTPG) apresenta, nesta quarta-feira (13) uma adaptação de ‘Grinch – Um conto de Natal’, no Palco do Lago de Olarias. Essa é a primeira de três apresentações da peça escolhida especialmente para a programação do ‘Natal de Ponta Grossa – Feliz Cidade 2023’. A promoção é da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Ponta Grossa. A apresentação inicia às 19h30.

A peça é um clássico da literatura natalina, já levada às telas do cinema como filme e animação, além dos palcos. Ela conta a histórica de ‘Grinch’, que é uma criatura que detesta as festividades de Natal e a felicidade dos ‘Quem’, que realizam grandes festas para a data. ‘Grinch’ tenta acabar com a festa deles. Ele não percebe o verdadeiro significado da data, que vai bem além de comemorações e presentes, e acaba se envolvendo com todo o clima. É a partir daí que se desenvolve toda a trama que promete conquistar a todos que irão até o Lago de Olarias para prestigiar a bela montagem do GTPG.

“No conto, a comunidade se une para ajudar Grinch e, então, o seu coração aumenta de tamanho com a ajuda de todos e isso representa também uma analogia de como nós ficamos mais gentis nessa época, de tudo o que o Natal representa”, compara o diretor do Grupo, Emerson Rechenberg.

A peça contará com dez atores em cena, figurino inspirado no livro e belos cenários, e bela maquiagem, fiéis ao conto. Depois da apresentação, que dura cerca de 35 minutos, todo o elenco estará disponível para tirar fotos com o público.

‘Grinch – Um conto de Natal’ voltará ao palco do Lago de Olarias também nos dias 15 e 22. Além disso, diariamente, até o dia 23, o local recebe outras apresentações que envolvem o Coro Cidade de Ponta Grossa, que apresenta o espetáculo ‘Nada é Por Acaso’; Meninas Cantoras, com ‘Bate o Sino’; e Orquestra Sinfônica, com a ‘Teoria do Silêncio’.

“Com isso, nós estamos oferecendo à comunidade espetáculos magníficos, que contam diferentes e emocionantes histórias relativas ao Natal”, destaca o secretário de Cultura, Alberto Portugal.

Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa leva cinco prêmios no Festival de Palmeira

O Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa (GTPG), um dos corpos estáveis vinculados à Secretaria Municipal de Cultura, levou os prêmios de melhor figurino (Evlin Frandoloso), melhor maquiagem, melhor atriz coadjuvante (Viviane Oliveira), melhor atriz (Vivian Bueno) e melhor direção (Emerson Rechenberg) no 1° Festival de Teatro de Palmeira. O evento aconteceu entre os dias 26 de novembro e 2 de dezembro.

O grupo participou com a peça ‘O que o mordomo viu’, que já vinha sendo encenada com sucesso nos palcos de Ponta Grossa e também foi apresentada no encerramento do 26º Festival de Teatro da Unicentro (Feteco), em Guarapuava, no dia 26 de novembro. “Nós ficamos muito felizes com o resultado do GTPG, que tanto orgulha e bem representa nossa cidade”, destaca o secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal.

O Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa tem apenas quatro anos. O primeiro elenco foi formado em 2019, a partir de um teste seletivo. O objetivo do GTPG é contribuir para a formação de novos atores, atrizes e técnicos de teatro na cidade, fomentando, assim, a criação de novos grupos e produções.

O que o mordomo viu agradou o público presente ao Festival

GTPG participa de festivais em Guarapuava e Palmeira

O Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa (GTPG), um dos corpos estáveis vinculados à Secretaria Municipal de Cultura, participará do 26º Festival de Teatro da Unicentro (Feteco), que acontece de 22 a 26 deste mês, em Guarapuava. O Grupo também estará presente no 1º Festival de Teatro de Palmeira, que será realizado entre 26 de novembro e 2 de dezembro. Nas duas ocasiões será, apresentada a peça ‘O que o mordomo viu’.

Essa será a primeira vez que o GTPG atuará fora de Ponta Grossa. Em Guarapuava, o grupo fará a apresentação de encerramento do Festival, já em Palmeira, quando sobe ao palco no dia primeiro de dezembro, estará na mostra competitiva. “Apresentar para outros públicos é fundamental para o amadurecimento do grupo. Além disso, coloca o trabalho desenvolvido pelo GTPG em evidência, valoriza os artistas locais e promove o intercâmbio artístico. Apresentar em outras praças sempre foi uma premissa, que agora está sendo contemplada”, destaca o diretor do Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa, Emerson Rechenberg.

‘O que o Mordomo viu’ já foi encenada com bom público no Cine-Teatro Ópera

Histórico

O Grupo de Teatro Cidade de Ponta Grossa tem apenas quatro anos. O primeiro elenco foi formado em 2019, a partir de um teste seletivo. O objetivo do GTPG é contribuir para a formação de novos atores, atrizes e técnicos de teatro na cidade, fomentando, assim, a criação de novos grupos e produções.

Todos os integrantes recebem uma bolsa de estudos mensal para incentivar o aprimoramento técnico e artístico. A direção artística é feita por profissionais convidados. A primeira montagem do grupo foi o espetáculo ‘Shakespeare: Paixão & Poesia’, com texto e direção de Edson Bueno, de Curitiba. A montagem estreou em agosto de 2019, com três apresentações no Cine-Teatro Ópera, com excelente público. Em seguida, a companhia encenou ‘O Impostor’, adaptado da obra de Molière, com direção de Léo Campos, do Rio de Janeiro. Foram cinco apresentações ao ar livre, durante a programação do Natal Iluminado 2019, no Parque Ambiental, alcançando grande e variado público.

Em 2020, por conta da pandemia, o grupo precisou se reinventar, com ações online. Os atores e atrizes apresentaram trechos clássicos de poemas e livros em formato de citações em vídeo. Já a equipe técnica criou o Curso de Introdução ao Teatro, com 11 aulas, também em vídeo. O grande projeto do ano foi a gravação de quase 70 episódios da série ‘Esse Lugar tem História’, no qual apresentam os patrimônios históricos tombados de Ponta Grossa, disponível no site da Secretaria Municipal de Cultura, no endereço https://cultura.pontagrossa.pr.gov.br/esse-lugar-tem-historia/.

Na retomada das atividades presenciais, após a pandemia, o grupo fez várias realizações, com apresentações e ações culturais: Todos os Nós, Oficina de bolachas no Natal e outras intervenções. O GTPG conta ainda com duas grandes temporadas da peça ‘A Máquina de Somar’, uma em 2022 e outra neste ano; apresentou o espetáculo de 200 anos da cidade; e recentemente, em julho de 2023, também estreou ‘O que o mordomo não viu’, de Joe Orton, a peça que estará nos festivais, todas sob a direção de Emerson Rechenberg.

GTPG volta ao Ópera com ‘O que o mordomo viu’

O Grupo de Teatro de Ponta Grossa (GTPG) volta aos palcos nesta terça e quarta (1 e 2) com a peça “O que o Mordomo Viu”. As apresentações acontecem a partir das 20 horas, no Auditório A do Cine Teatro Ópera. A classificação indicativa é 18+ e o ingresso é solidário: um quilo de alimento ou um agasalho. A promoção é da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura, e faz parte das programações dos 200 anos de Ponta Grossa.

A peça estreou no dia primeiro de julho, dentro da programação da Virada Cul-tural de Ponta Grossa, realizada pela Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura. Agora, retorna para mais duas apresentações. 

‘O que o Mordomo Viu” é uma construção farcesca, escrita pelo autor inglês, Joe Orton, com direção de Emerson Rechenberg. O espetáculo retrata, com fina ironia, um dia no cotidiano de uma clínica psiquiátrica britânica, na década de 1960, a partir da visão típica do humor inglês: ácida e sutil. O título faz referência a uma das maiores instituições britânicas que é o mordomo, profissional conhecedor de todos os pecados de uma família e fiel depositário dos segredos. Em cerca de uma hora e meia, o texto, escrito em 1967, vai conduzindo o público a refletir sobre temas espinhosos, como a própria abordagem das doenças mentais, a hipocrisia, o preconceito e as mazelas de certos setores da sociedade, que ainda continuam atuais.

Rechenberg destaca que esta é a primeira montagem brasileira desse texto, seguindo os moldes em que foi escrito. “É um espetáculo provocativo e até mesmo in-cômodo e desconfortável em alguns momentos”, avalia.

Uma das propostas inovadoras da direção é a utilização de um elenco formado por seis atrizes, que interpretam os quatro papéis masculinos e os dois femininos da trama. “A peça traz algumas situações nas quais o local de fala pertence à mulher, por isso esta escolha”, conta Emerson.

O Grupo de Teatro de Ponta Grossa é um dos corpos estáveis mantidos pela Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura.

Grupo de Teatro de Ponta Grossa inicia temporada da peça “O que o Mordomo Viu”

O Grupo de Teatro de Ponta Grossa (GTPG) apresenta a peça “O que o Mordomo Viu”, escrita pelo autor inglês Joe Orton, com direção de Emerson Rechenberg. A estreia acontece neste sábado (01), às 20 horas, no Auditório A do Cine Teatro Ópera. A classificação indicativa é 18+ e o ingresso é solidário: um quilo de alimento ou um agasalho.

Com uma construção farsesca, o espetáculo retrata, com fina ironia, um dia no cotidiano de uma clínica psiquiátrica britânica na década de 1960, a partir da visão típica do humor inglês: ácida e sutil. O título faz referência a uma das maiores instituições britânicas que é o mordomo, profissional conhecedor de todos os pecados de uma família e fiel depositário dos segredos.

Em cerca de uma hora e meia, o texto, escrito em 1967, vai conduzindo o público a refletir sobre temas espinhosos, como a própria abordagem das doenças mentais, a hipocrisia, o preconceito e as mazelas de certos setores da sociedade, que ainda continuam atuais.

O diretor destaca que esta é a primeira montagem brasileira desse texto, seguindo os moldes em que foi escrito. “É um espetáculo provocativo e até mesmo incômodo e desconfortável em alguns momentos”, avalia.

Uma das propostas inovadoras da direção é a utilização de um elenco formado por seis atrizes, que interpretam os quatro papéis masculinos e os dois femininos da trama.

“A peça traz algumas situações nas quais o local de fala pertence à mulher, por isso esta escolha”, conta Emerson.

A apresentação integra a programação da Virada Cultural de Ponta Grossa, realizada pela Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura. Depois da estreia, o espetáculo volta ao palco do Ópera nos  dias 1º e 2 de agosto.  

Atuam no espetáculo: Ana Cláudia Gambassi, Dadá Munhoz, Nadhine Rios, Natalie Fronczak, Vivian Bueno e Viviane Oliveira. A iluminação é de Bya Paixão, figurinos de Evlin Frandoloso, cenário de Nessandra Cordeiro e assistência de direção de Camila Leria. 

O Grupo de Teatro de Ponta Grossa é um dos corpos estáveis mantidos pela Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura.

Virada Cultural abre a agenda de julho

Nos dias primeiro e dois de julho, a Ponta Grossa vai receber mais uma edição da Virada Cultural. O evento que foi realizado pela primeira vez em 2013, retorna agora e promete momentos de descontração e alegria. Neste ano, a Virada acontecerá no Calçadão Coronel Claúdio, que será palco de diversas atrações. O evento é uma promoção da Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura. Toda a comunidade está convidada a participar.
Com horários diferenciados, o primeiro dia tem início a partir das 16h00, seguindo até às 22h00. Já no dia 02, as atividades começarão mais cedo, às 10h00, e se estendem até as 19h00. Durante esse período, a rua Sete de Setembro, no trecho entre a Avenida Vicente Machado e a Rua do Rosário, estará fechada , proporcionando um ambiente seguro e acolhedor para os participantes e seus familiares.
O palco principal do evento leva o nome do artista Flávio Fanucchi, que faleceu em janeiro de 2023. A homenagem reverencia a trajetória do multifacetado artista que marcou sua carreira nas artes e na cultura de Ponta Grossa. A programação variada atenderá todas as idades, contando com música, teatro e contação de histórias. Todos os artistas que se apresentarão são locais.
“A Virada Cultural é uma grande celebração às artes e à cultura de nossa cidade, oportunidade para a população conhecer mais e se encantar com os artistas locais, ocupando o espaço urbano durante a programação dos 200 anos”, ressalta o Secretário Municipal de Cultura, Alberto Portugal. As atividades e apresentações são gratuitas para a população.
Também durante a programação da Virada Cultural, o Cine-Teatro Ópera receberá a estreia do Espetáculo de 2023 do Grupo de Teatro de Ponta Grossa: a comédia de Joe Orton, O que o Mordomo Viu, com direção de Emerson Rechemberg, com classificação indicativa de 18 anos e ingressos a 1kg de alimento não perecível.
Programação:

  • Dia 1º de julho (sábado)
    17h – Curly’s Band. Local: Calçadão Coronel Claúdio
    18h – DJ Lelo. Local: Calçadão Coronel Claúdio
    19h – Cantor Maick. Local: Calçadão Coronel Claúdio
    20h – GTPG: O que o mordomo viu. Local: Cine-Teatro Ópera
    21h – Cantor Raylan Marinho. Local: Calçadão Coronel Claúdio
  • Dia 02 de julho (domingo)
    10h – Cantor Anthonny e Amaury. Local: Calçadão Coronel Claúdio
    11h – Caravana da Cultura. Local: Calçadão Coronel Claúdio
    14h – Cantores Brida e Romildo. Local: Calçadão Coronel Claúdio
    15h – Peça do palhaço Olirrô – O pintor. Local: Calçadão Coronel Claúdio
    16h – Cantor Anderson Black. Local: Calçadão Coronel Claúdio
    17h – Banda Bananeira Brass. Local: Calçadão Coronel Claúdio
    18h – Banda Chave de Mandril. Local: Calçadão Coronel Claúdio

Conferência Municipal escolhe novos conselheiros e mostra a dinâmica da área em Ponta Grossa

A 23ª Conferência Municipal de Cultura, realizada no início dessa semana (dias 29 e 30) definiu os nomes dos novos conselheiros do Conselho Municipal de Políticas Culturais (CMPC). O evento reuniu representantes de todos os segmentos artísticos culturais da cidade no Cine-Teatro Ópera e serviu também para mostrar o que tem sido feito nesse segmento em Ponta Grossa e para a apresentação de propostas. 

O objetivo da Conferência, segundo o secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal, foi de “fortalecer o diálogo com os fazedores de cultura do município, além de levantar propostas para a construção de políticas públicas mais eficazes e, assim, fortalecer ainda mais a cultura ponta-grossense”. O propósito também é de atender toda a comunidade de Ponta Grossa, a partir de propostas que possam aproximar cada vez mais as produções culturais da população.

A Conferência deste ano teve um formato diferente, uma vez que as proposições foram encaminhadas com antecipação por formulário digital. A partir do recebimento, o Conselho Municipal de Política Cultural compilou todas as propostas, sintetizando as similares. “O objetivo foi otimizar o tempo da Conferência ao juntar proposições iguais”, explica o secretário. 

Na primeira noite aconteceu a abertura da exposição ‘Múltiplas Cenas’ e uma apresentação da Orquestra Sinfônica de Ponta Grossa. O secretário Municipal de Cultura (SMC) e presidente do CMPC, Alberto Portugal, fez a prestação de contas das atividades da Secretaria. Ele destacou o incremento das atividades ao longo dos primeiros 879 dias de atuação da atual gestão. Nesse período, o foco se deu sobre cinco premissas centrais: Patrimônio Cultural; Fomento, Incentivo e Apoio; Fortalecimento dos Setores; Lazer, Entretenimento e Alegria; e Pesquisa, Educação Cultural e Inclusão. 

O secretário apresentou um mapa com a espacialização das ações culturais dentro e fora do centro da cidade, bem como a constituição de futuros polos de difusão cultural. Também explicou como funciona o orçamento do setor da Cultura, o Planejamento Estratégico de 2023 e a distribuição desses recursos no ano passado. Entre os pontos abordados pelo secretário, destacam-se a reestruturação de unidades culturais; apoio fomento e incentivo à cultura; eventos culturais; geração e manutenção de bolsas em trabalho cultural; realizações de ações descentralizadas; eventos de entretenimento, manutenção de programas, folhas de pagamento, apoio a ações de terceiros – públicas, gratuitas e com objetivo cultural.

Durante a prestação de contas, o secretário Alberto Portugal também lembrou que Ponta Grossa faz parte do grupo das sete maiores cidades do Paraná. Também se ocupa uma vaga no Conselho Estadual de Cultura (Consec), AMCG e do fórum estadual de Gestores de Cultura. Depois, detalhou todas as atividades realizadas pela Secretaria.

NOVOS CONSELHEIROS

Durante a 23ª Conferência Municipal de Cultura foram apresentadas diversas propostas para o setor cultural e eleitos os novos conselheiros para o próximo biênio. Foram escolhidos: Wilton Correa Paz (Artes Visuais), Ana Cláudia Ferreira Gambassi (Teatro e Circo), Maria Luíza Cavasoti (Artes Populares), Victor Emmanuel Carbonar (LGBTQIAP+), Aymê Alves (Afro brasilidades e Povos Originários), Pamela Schamne (Dança), Everson Pontes (Carnaval), Thaís Cristina dos Santos (Audiovisual), Julia Margarida Kalva (Literatura) e Álvaro Bueno (Música).

SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA
Pular para o conteúdo Secured By miniOrange